teste-para-lenita1

cicaf

*

Você está aqui: HomeNotíciasFalta de cuidado com o planeta resulta em desastre ambiental
Publicado em Notícias
Postado por  Prov. Imaculado Coração de Maria 30 Maio 2017
Falta de cuidado com o planeta resulta em desastre ambiental

Durante a semana passada as chuvas não deram trégua nos municípios da Mata Sul e Agreste de Pernambuco, aumentando a intensidade no fim de semana (27 e 28 de maio) e deixando milhares de pessoas desabrigadas e desalojadas, entre os estados de Pernambuco e Alagoas.

As famílias de Pernambuco e de Alagoas, infelizmente, reviveram o drama de 2010 e 2011. Mais uma enchente, desta vez, atingindo também o município de Caruaru, no agreste/PE. Em 2010, em três dias, as chuvas corresponderam a 180 milímetros e, desta vez, foram 140 milímetros em dois dias.

Em Alagoas, o governador Renan Filho decretou situação de emergência na capital, Maceió e no município de Marechal Deodoro, na região Metropolitana. Os municípios mais atingidos pelas chuvas são: Atalaia, Jacuípe, União dos Palmares, Marechal Deodoro e Murici.

Em Pernambuco, o governador Paulo Câmara (PSB) decretou estado de calamidade pública em quatorze municípios: Amaraji, Água Preta, Barra de Guabiraba, Belém de Maria, Catende, Cortês, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, Barreiros e Gameleira.

Em Palmares, a situação não foi mais grave que no ano de 2010, devido à barragem de Serro Azul, que conteve trinta e cinco milhões de metros cúbicos de água, porém, a perda de bens materiais foi grande.

Infelizmente, a água estava entrando na cidade e a Defesa Civil, da mesma forma de 2010, comunicando à população que não se preocupasse, porque não haveria enchente. As pessoas que confiaram na Defesa Civil foram as que tiveram maior perda. As que se precaveram, conseguiram retirar das casas seus pertences e se alojarem em casas de parentes.

O número maior de desabrigados e desalojados de Palmares/PE foram às comunidades rurais próximas ao Rio Pirangi e ao Riacho dos Cachorros.

Visitamos, nesta manhã, (29), as escolas onde estão alojadas as famílias. Constatamos que há somente 56 pessoas desalojas, entre elas, nove estrangeiros (haitianos).

Muita doação chegou e está chegando à AEMASUL – Autarquia Educacional da Mata Sul para os afetados pela enchente.

No Centro de Treinamento São João XXIII, onde acontece a Feira semanal da Economia Solidária, a água chegou a um metro de altura e, nesta tarde, Irmã Sandra Aparecida Leoni foi ajudar alguns dos agricultores a limpar o espaço onde guardam as mesas, cadeiras e tendas; Irmã Marisa Ribeiro do Amaral participou da reunião com o secretário de desenvolvimento rural, secretário estadual da agricultura familiar, INCRA, MST, Diamantina e alguns agricultores, para planejar as ações pós enchentes, em Palmares e nos municípios vizinhos: Água Preta, Catende e Xexéu.

Enquanto, a cidade e a zona rural sofrem com as águas, o Bairro Dom Acácio Rodrigues Alves, construído após as enchentes de 2010/2011, para as famílias que perderam suas casas nas enchentes de 2000 e 2010, sofre com as erosões.

Meu Deus!  Quando o ser humano vai respeitar a mãe terra?  O ser humano maltrata a mãe terra, rouba o espaço dos rios construindo, plantando... Arranca as árvores, matas que ajudam a evitar erosão... Acaba com a natureza, depois reclama, chora, xinga a natureza e culpa Deus pela catástrofe ambiental.

Quando vamos aprender a conviver com a terra que tudo nos dá?

Necessitamos mudar e adequar muitos dos nossos hábitos, costumes e vícios. Temos que ecologizar muitos dos nossos maus costumes.

É preciso criar uma nova cultura, que passa desde o morar, usar, comer, vestir, descartar, reutilizar, enfim necessitamos voltar a usar a frugalidade em tudo que se faz.

Normalmente o comportamento humano segue o seguinte esquema: primeiro ele faz, depois pensa e vê a besteira que fez. Onde o comportamento ideal precisaria ser: primeiro deve se emocionar, depois pensar e estudar como vai fazer. Precisamos voltar a agir como a segunda estratégia explica, só assim conseguiremos dar outro norte para as nossas ações, respeitando o ambiente que nos cerca. 

Informações adicionais

  • Fonte da Notícia: Irmã Sandra Aparecida Leoni

Comentários  

#4 Maria Fachini 06-06-2017 23:53
Deus tenha piedade deste povo, vítima do descaso e da incompetência de quem governa e da ganância desenfreada, da exploração irracional da natureza.
Senhor, tende pena deste povo sofredor!
tem gente que ainda aumenta sua dor!
#3 Bárbara Ponejaleski 05-06-2017 14:36
Paz e Bem! Que a Divina Ruah, conceda luz para os nossos governantes abram seus olhos e a vocês esperança em Deus e ao povo coragem e ousadia de não ficarem calados! Estamos aqui unidas em oração! Abraços!
#2 Elsa Rossi 30-05-2017 19:59
Olá querida Sandra e Marisa
Coragem! que aos poucos o ser humano se dará conta da situação e irá agir com mais responsabilidad e. a luta continua...
#1 Marilete 30-05-2017 16:39
Sim Sandra e Marisa!
Paz e Bem.
Acompanhamos um pouco esta triste realidade através desta comunicação e de outros meios.
Sentimo-nos solidárias com vocês e todo o povo . Oxalá, que todos se sintam fortalecidos e acolhidos com as nossas preces, o apoio de vocês, e tantas outras pessoas.
Com carinho.

Adicionar comentário


 

Direção:
Isabel do Rocio Kuss

Ana Pereira Macedo

 Ivonete Gardini

Arte: Lenita Gripa

Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas
Rua Des. Nelson Nunes Guimarães, 346
 Bairro Atiradores - Joinville / SC – Brasil
Fone: (47) 3422 4865