teste-para-lenita1

cicaf

*

Você está aqui: HomeNotíciasCléglia Ânesi: Testemunho de Missionariedade
Publicado em Notícias
Postado por  Sede Geral - Ivonete 17 Setembro 2018
Cléglia Ânesi: Testemunho de Missionariedade

Foi pela fé que Francisco e Clara reacenderam no mundo a paixão pelo Reino, no seguimento a Jesus Cristo. Foi pela fé que frei Polycarpo, sensível aos sinais dos tempos, se pôs a caminho em busca de educação e catequese para o povo, e nesse movimento nos convocou a “sermos Irmãs do povo”. Pela fé, Amábile, Maria e Liduína partiram e continuam falando a nós...

A missionariedade se transformou em êxodo para aquelas três mulheres de Rodeio, em 1915. Fiel ao carisma, também Cléglia pôs-se a caminho rumo à “terra sagrada” do Maranhão. Em 1965, havia uma necessidade a ser suprida em Bacabal/MA, um apelo exigente. Cléglia reconheceu o tamanho da responsabilidade, mas ouviu o chamado e, como Maria, prontamente levantou-se com disposição e partiu “às pressas”, ao encontro do povo nordestino. A caminho da missão, ela escreve às Irmãs e a frei Eurico, um amigo seu: “Era tempo que eu estava aguardando esta reviravolta. Vou para Bacabal para atender aos pedidos de auxílio que de lá vieram [...]. Despedi-me do Sul não às gargalhadas, mas feliz por me sentir capaz de fazer um pequeno ato de generosidade...”.

Com coragem e alegria, Ir. Cléglia Ânesi assume o compromisso missionário quando, após discernimento, aceita o convite para as terras Maranhenses. A sua chegada em Bacabal/MA foi no dia 25 de setembro de 1965, integrando-se no trabalho de formação de animadores/as populares no Seminário Catequético Frei Jordão May e no acompanhamento das aspirantes da Congregação. Como discípula, Cléglia vê, ouve e se aproxima da realidade de sofrimento e pobreza do chão em que está pisando. Seu tempo foi de um ano, de 25 de setembro de 1965 a 18 de setembro de 1966... Tempo de Deus... Tempo suficiente... Viveu tudo com muita intensidade!

Mulher incansável, esteve sempre a caminho,enamorada pela causa do Reino, com um espírito de busca constante, mas dizia: “Se o espírito está pronto, a carne é fraca... Se Ele me chamou, me ajudará”!

Por isso, no misterioso e encantador teatro da vida, Cléglia foi uma grande artista. Na simplicidade da Vida e com abertura de coração, no dia

Dezoito de setembro de mil novecentos e sessenta e seis

Irmã Cléglia Ânesi entrega sua vida de vez.

Sendo fiel à sua vocação, exclama com o coração:

“Dou minha vida pelo povo do Maranhão”

Por amor a uma grande missão, doou sua vida

Sendo uma mulher guerreira e destemida.

Viveu com dedicação e muita simplicidade

Sempre atenta aos clamores da realidade.

Em Rodeio, Cléglia marcou com uma grande contribuição,

Acompanhando as juvenistas da Congregação.

Mulher terna, convicta, decidida e fervorosa na oração,

Sempre contente pelo chamado e seu SIM à vocação.

Em terras Maranhenses a semente foi plantada,

Deixando na memória a Irmã feliz, conselheira e despojada.

Com seu testemunho muitas jovens a vida consagraram,

Entregando-se sem reservas na construção do Reino de amor.

A semente fecundou e nova vida gerou,

A você, Irmã Cléglia, que seu SIM viveu com fervor, pedimos:

“Interceda por nós ao Senhor, para sermos fiéis em nosso SIM

e não perdermos de vista o ponto de partida e o caminho a seguir!”

Interceda por todas as irmãs, noviças, postulantes, aspirantes e simpatizantes,

neste movimento dinâmico da Congregação, nos seus 103 anos....

Interceda por toda a Congregação, neste processo de reorganização e tempo capitular!

Como Clara, Francisco, Amábile, Maria e Liduina, e a exemplo de tantas missionárias\os, a nossa missão é sair, visitar, ver, sentir e escutar o clamor dos pequeninos, das juventudes, das famílias e de tantos banidos e banidas da sociedade, como nos convoca o Evangelho, o Documento de Aparecida, as Linhas Inspiradoras da Congregação.

O Papa, em sua primeira Exortação Apostólica, intitulada a “Alegria do Evangelho” expressa o seu desejo: “Saiamos, saiamos para oferecer a todos a vida de Jesus Cristo! Repito aqui, para toda a Igreja, aquilo que, muitas vezes, disse aos sacerdotes e aos leigos de Buenos Aires: prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada, por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e pela comodidade de se agarrar às próprias seguranças. Não quero uma Igreja preocupada com ser o centro, e que acaba presa num emaranhado de obsessões e procedimentos”.

Gratidão a todas aquelas e aqueles que marcam presença solidária e de esperança, junto a esse povo resistente como o mandacaru.

“Louvado Sejas , meu Senhor, por todas as Criaturas.”

Louvados sejas pelos 54 anos de presença no NE

e, sobretudo, pelos 50 anos em Vitorino Freire MA!

 

Colaboração das Irmãs: Esperança e Luana.

 

 

Informações adicionais

  • Fonte da Notícia: Pela Coordenação Geral, Irmã Teresinha Tontini

Comentários  

#3 Marinete Silva Souza 23-09-2018 14:17
Obrigada a quem fez a reflexão sobre Cléglia e a quem comentou! Nossa Cléglia é testemunho para nós, uma chama do Carisma sempre acesa! Sua luz e doação, nos impulsiona a viver a missionariedade e a dedicação da nossa vida a serviço do Reino!
#2 Etelvina Valentini 19-09-2018 11:12
Sempre é uma alegria para nós termos irmãs que marcaram história.O canto muito bonito trouxe saudades de cada uma que agora lá está continuandoma missão.
Louvado seja Deus por tudo. Pelo bem.A cadab uma força e luz. Meu abraço e coragem.
#1 Eunice Berri 18-09-2018 16:06
Queridas irmãs e irmãos da Província Cléglia Anesi, Nossa alma bendiz a Deus pelo belo testemunho de Irmã Cléglia!Parabén s e um grande Obrigada a cada Irmã, formanda e simpatizante que continua, como Irmã Cléglia, a entregar a vida pelo povo do Nordeste! A presença e atuação de vocês faz a diferença no Reino de Deus que se faz vida naquela região. PAZ E BEM, ALEGRIA E FIDELIDADE PELOS CAMINHOS!

Adicionar comentário


 

Direção:
Isabel do Rocio Kuss

Ana Pereira Macedo

 Ivonete Gardini

Arte: Lenita Gripa

Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas
Rua Des. Nelson Nunes Guimarães, 346
 Bairro Atiradores - Joinville / SC – Brasil
Fone: (47) 3422 4865