pg incial 2018

cicaf

*

Você está aqui: HomeNotíciasGrito dos Excluídos: Diocese de Rio do Sul presente
Publicado em Notícias
Postado por  Província Santa Clara de Assis 11 Setembro 2020
Grito dos Excluídos: Diocese de Rio do Sul presente

 

Irmã Carmela Panini, Articuladora das Pastorais Sociais / Caritas da Diocese de Rio Do Sul, relata a vivência do Grito dos Excluídos em tempo de pandemia.

A Diocese de Rio do Sul, em meio à experiência da pandemia, está tendo a oportunidade de viver intensamente o grito do povo pela vida!

O Grito dos Excluídos está sendo ouvido por muita gente e ressoando alto e forte, mais que os tambores nas ruas dos costumeiros desfiles! O seu canto é de dor pelas perdas, em todos os sentidos, na dimensão humana, nos direitos que eram garantidos, no emprego, na morte de um ente querido..., porém, o seu canto é esperançoso, é carregado de sonhos e fé!

Um grito esperançoso faz-se ouvir com as respostas de muitas pessoas ao Pacto pela Vida e pelo Brasil, proposta elaborada pela CNBB e mais cinco entidades, e acolhida por mais de cem outras entidades pelo Brasil afora! Oxalá esse grito transforme o rosto do povo e a fisionomia do país!

Ele se torna vivo nas paróquias, nas congregações religiosas, nas entidades, nas muitas famílias e pessoas que promovem campanhas solidárias de coleta de alimentos, material de higiene, cobertores e roupas de inverno, que aquecem as pessoas permitindo que durmam bem e que sonhem com um Brasil fraterno!

O Grito da Pastoral da Sobriedade se faz ouvir quando, todos os sábados à tarde, um grupo se encontra para a confecção de sabão medicinal caseiro! Cerca de 2.000 barras de sabão para serem doadas, como material de higienização e proteção contra a covid-19! Isto também é vida!

E a Pastoral da Pessoa Idosa, como cuidadora desse povo, se dispôs a colaborar com a Fundação Osvaldo Cruz (FIOCRUZ), na resposta às perguntas e na divulgação da pesquisa para o projeto “Cuidando de Quem Cuida”!

Os catadores de material reciclável, muito sofridos pela limitação de horas de serviço, pelos cuidados com o isolamento social e a não exposição à covid-19, mesmo assim, em perigo constante, continuam solidários no mapeamento das novas pessoas excluídas e na ajuda da partilha de alimentos. Quanta comunhão!

A Pastoral Carcerária, impedida pela corona vírus de manter a semanal presença junto ao povo do Cárcere, é suficientemente criativa! Presenteia as famílias com mais de 4.000 mudas de hortênsias para que possam embelezar suas casas! Assim, os pequenos jardins, ornados de flores azuis, cor de rosa e brancas, cor do céu, lembram serenidade, acolhida, diálogo familiar e paz!

E o que dizer das nove aldeias indígenas e da Comunidade Cafuza – cerca de 730 famílias – que, através de um mutirão samaritano entre as Pastorais da Diocese, a Caritas, o Colégio Dom Bosco e o Centro dos Direitos Humanos, foram sendo apoiadas com alimentos, roupas de inverno e material de higiene?!

Um grito bem “vitaminado” nos muitos quilos de multimistura, produzidos pela Pastoral da Criança, Pastoral da Saúde e Caritas, que acabam com a anemia do povo, em especial das crianças e da Pastoral da Pessoa Idosa, tornando-as exuberantes e cheias de vigor!

Na Semana da Pátria, a Diocese, em parceria com a solidariedade do povo alemão, promoveu a partilha de mais de 600 cestas básicas para os diversos grupos que, como cidadãos, desejam viver! E também a partilha de quantidade suficiente de alimentos diferenciados, próprios para as pessoas que vivem nos Lares de Idosos e para as pessoas que vivem em situação de rua!

Ah sim! Que belo o hino dos migrantes haitianos e venezuelanos, construindo horta comunitária, produzindo verduras, legumes e frutas, e fazendo entre si a partilha dos “cinco pães e dos dois peixes”! E os migrantes sazonais, estendem suas mãos na doação de cerca de 30 mil mudas de cebola de cabeça, ajudando, assim, muitas pessoas da agricultura familiar, a fazer acontecer o milagre da vida!

Igualmente encantador é o grito da Pastoral da Terra, do SEMEAR, que, com a Feira Abrigo da Terra promove, semanalmente, uma feira orgânica solidária, unindo agricultores e consumidores na mesma proposta de alimentação saudável, da ecologia integral, defendida pelo Papa Francisco!

Nessa mesma dinâmica, a Pastoral da Saúde promove a capacitação em alimentação saudável com produtos da própria horta e do próprio horto, aproveitando os talos de verduras, as cascas de frutas, as pepitas das sementes, tudo ecologicamente produzido, consumido e transformado em novas energias, em vida em abundância!

Ainda bem lembradas as múltiplas rodas de conversa, “lives”, as conferências on-line, tornando viva e atualizada a nossa percepção da realidade: uma pandemia multiplicadora de “Igrejas domésticas” que nos torna, a um só momento “aprendentes e aprendizes”; com uma inquietude que nos mantém alertas: E no após pandemia, como será?

E para unir esses melodiosos gritos do povo, numa sinfonia harmônica, iniciamos o mês da Biblia, com a Palavra que ressoa em verso, em prosa e música! Um diálogo que enche os corações de inspiração e de confiança no “Deus que ouviu o grito do povo por justiça, viu sua miséria e veio a seu encontro para libertá-lo”! (Ex. 3,7). Sim, para todas as pessoas, a Vida em 1º lugar!

Informações adicionais

  • Fonte da Notícia: Irmã Carmela Panini

Comentários  

#3 Maria Fachini 13-09-2020 13:38
Que animador, ver uma igreja que se move. Uma igreja-povo que recolhe os gritos e os faz ressoar no meio do povo, talvez não tão frequentador do templo, mas de coração eclesial. Parabéns a quem ajuda este motor a ser por em movimento.
#2 Mara Sueli Selke 12-09-2020 16:21
Parabéns Irmã Carmela e Equipe!
A sua fala transmite realmente o "Grito de cada Cidadão" seja qual é a razão pela sua
exclusão da Sociedade.. Dar o nosso ombro para que Eles possam se expressar de sua forma a dor que sente e como sente sua "Dor".
#1 Ana Lúcia Corbani 12-09-2020 12:09
Quanta criatividade em tempos de pandemia! Quando se ouve o grito dos pobres, não há lugar para o medo, a acomodação, a indiferença! Vida em primeiro lugar! Parabéns, Ir. Carmela pela articulação das ações!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

 

Direção
Isabel do Rocio Kuss

Ana Cláudia de Carvalho Rocha

Marlene dos Santos

Rosali Ines Paloschi

Arte: Lenita Gripa

Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas
Rua Des. Nelson Nunes Guimarães, 346
 Bairro Atiradores - Joinville / SC – Brasil
Fone: (47) 3422 4865